obrigado. num diálogo comigo mesmo pisco o olho seduzindo a mim. conflitantemente comigo mesmo. nada q as sensações iniciais dessas palavras provoquem q eu mesmo sugestione pra uma má interpretação. tão idiota ouça é puramente pra chamar a sua atenção!
pq comigo mesmo não há fim - fim, há não! mesmo comigo pq?

pra um diálogo com vc:
eu tento
eu sento
eu paro
eu falo tanto eu q ja não sei ... se falo ou calo
Precisar de dominar os outros é precisar dos outros................................. (Fernando Pessoa)

eu para mim

- vai me obedece q eu to mandando. PARE AGORA.

- quer sempre mais ?o q?

- busca busca ... o q ?

BURRO - para e ergue a cabeça, abre a boca e morde, doa a quem doer - família, amigo, desconhecido ou colega profissional - foda-se

- não consegue fazer mau a ninguem, MENTIRA.

"Castigo, será que é obrigatório?? estudar pra ter vocabulário é obrigatório." (O Rappa)

ego.ín


Vc me analisa enquanto eu te devoro.
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$
$$$$$$

O almoço hj é negócio pra azar da gentália;



- o almoço hj é bala
- o almoço hj é morte
.
.
.
.
.
.
.
.
.
..........desligue a tv pra comer vai.

intervenções urbanas


d d dor d dizer
d q devo d mais deixar
d q tenho q desenvolver, dói.

p d parcelar é pior
p q prefiro parar d pagar picado
p q porra praga do purgatório q eu mesmo cri, ei.


s q soa sentir sempre um som socando
d v q sim sei estou pagando o q construi com vossa permissão
ó é simples, foda, subjetivo, escroto e singular, amar e deixar d ser amado.

.
.
.
Escuta não escrevo
nem pra mim
nem pra vc

N
o

mundo

existem dois movimentos:

- Rotação e Translação
Tente solucionar na fantasia o q não Pode
no real - durmindo
e acordando
.
.
.
.

egoína



Quase bebi de meu próprio antídoto. O q fabrico é unicamente para matar a mim mesmo .

Meu venêno é vermelho, o cheiro é pesado, seco e quente, a dor da nó nos músculos da boca ao cú, formando um laço de tubo digestivo...

eu sobrevivo em mim mesmo, me rotulam d egoísta_egoína* - pq acham q não Há luta em mim mesmo _ para ser EU _ em VOCê... . . . . . . . . . . . . . .

+



Eu me amo e me odeio a-s-sim (como-te) amo e te odeio.



-

não adianta correr...

ele vai te pegar. Lado A ou B ... do lado B do b-a-BÁ.

lou-



-co m certeza vc não é se sabe seguir seu desejo e não é assim tão do-mes-ti-(co/ca)-do, sabe os outros querem t ver pra não sofrer vendo aquilo q eles mesmos guardam no peito direito (o coração do mau) ... q negamos ou PROJETAMOS nos outros, pq é mais facil ve lá q cá - tu- vê pra cre pq esse lado B t faz proceder.

...eu sinto aquilo q não vejo em mim


...sobre vc em nós q será meu e só seu mas q eu não quero mais o q agora quero e ontem quiz amanhã posso não querer ... o q ja quiz não quero mais ... sai vai VIVER e ver a vida veja, já, vc pode ser feliz, e me deixar feliz tbm, eu posso ser feliz e t deixar ....


.... deixar feliz tbm em mim ou fora d mim !

chora

disfarça-e-vá molhar o deserto... olhar gostar só de longe não faz ninguem chegar perto.



Todos erram nesse mundo não há excessão ...

Cartola

rela-ci - )de( - ona-mentos

Re-petir sempre o eterno fracasso do encontro, reconsumar a falta, eis o verdadeiro PRINCÍPIO DO PRAZER ao qual as pesso@s estão fadadas.

M.Safouan - (por) Regina Steffen

é - di - po



Analisando a situação dos índios que os colonizadores ((convencem)) a trocar sua casa coletiva por casas ((pessoais)).


Na casa coletiva o apartamento familiar e a intimidade pessoal baseavam-se numa relação com o vizinho definido como aliado, de modo que as relações interfamiliares eram coextensivas ao campo social. Mas, pelo contrário, nessa nova situação, produz-se ((uma fermentação abusiva dos elementos do casal sobre si próprios)) e sobre os filhos, de modo que a família restrita fecha-se num microcosmo expressivo em que cada um dos membros reflete a sua própria linhagem enquanto se torna cada vez mais estranho às transformações sociais e produtivas.

O Édipo é uma espécie de eutanásia do etnocídio. Quanto mais a reprodução social escapa em natureza e extensão aos membros do grupo, mais se rebate sobre eles ou os rebate sobre uma reprodução familiar restrita e neurotizada cujo agente é o Édipo.

Porque o Édipo não é só um processo ideológico, mas é também o resultado da destruição do meio ambiente, do habitat, etc.


_____

adaptação de um trecho retirado do livro O Anti-Édipo
leia + sobre o assunto aqui

fe-menino


Mulher é metade do mundo, e mãe da outra metade que não é mulher.

Na vida tenho muito que dançar
Para aguentar o peso
Pra parar de pensar no erro...

Por que você me quer assim
Triste e traiçoeiro
Se eu posso dividir meu corpo e meu amor...

Por que você não quer
Ficar tranquila um pouco
Seu rosto é mais bonito rindo.


*Otto - por que

prazer carnal


Será que a mulher é vista como um envelope carnal e social e esta apenas num lugar de passagem da criança e do homem ?

Que é através dos oríficios femininos que ela tem acesso ao seu mundo interno, o que se reflete na percepção do externo???

Tem horas que estranho a psicanálise ... ou será a sociedade?

__
Grafite - Banksy


Já pensou se desligassem esse rádio... e esse ar condicionado fazendo esse barulho? e o ruído desse teclado de computador, tec, tec, tec...


André Gonçalves de Oliveira

quem precisa de ordem?

Quem precisa de ordem pra inventar, pintar, dançar, compor, escrever, rimar e narrar?

*Com todo respeito quero mostrar uma pequena fabulazinha.


Me falaram sobre uma floresta distante, onde uma história triste aconteceu no tempo em que os pássaros falavam. Os urubus, bichos altivos mas sem dotes para o canto resolveram mesmo contra a natureza, que haviam de se tornarem grandes cantores.Abriram escolas e importaram professores, aprenderam dó, ré, mi, fá, sol, lá, si, encomendaram diplomas e combinaram provas entre si para escolher quais deles passariam a mandar nos demais. Apartir daí criaram concursos, inventaram títulos pomposos, cada urubuzinho aprendiz sonhava um dia se tornar um ilustre urubu titular afim de ser chamado por vossa excelência.


Passaram-se décadas até que a patética harmonia dos urubus maestros foi abalada com a invasão da floresta por canários tagarelas, que faziam coro com periquitos festivos e serenatas com sabiás. Os velhos urubus encrespados entortaram o bico e convocaram os canários e periquitos para um rigoroso inquérito. Cade os documentos de seus concursos? (indagaram) E os pobres passarinhos se olharam assustados, nunca haviam freqüentado escola de canto pois o canto nascera com eles, seu canto era tão natural que nunca se preocuparam em provar que sabiam cantar, naturalmente cantavam.


Não, não, não assim não pode, cantar sem os documentos devidos é um desrespeito a ordem, bradaram os urubus. E em um nisoro expulsaram da floresta os inofensivos passarinhos que ousavam cantar sem alvarás.


Moral da história: em terra de urubus diplomados não se ouve os cantos dos sabiás.


*Música: "muito obrigado" do Mundo Livre S/A.

poder




De onde ele pegou tantos olhos, com os quais ele vos olha?

Os pés com os quais ele pisa vossas cidades, de onde ele os tem?

Como tem ele algum poder sobre você?

Como ousaria ele te atacar, se não estivesse em combinação com você?





Adaptação: Etienne de la Boétie

psicologia institucional


O que é novo em relação ao controle sobre o ser humano é a sua interiorização, hoje não são necessárias tantas punições para reprimir uma pessoa.
A capacidade das empresas de penetrar nas esferas até então consideradas privadas* avança a cada dia, criando espantosamente a servidão voluntária do h@mem moderno!

* ideais, valores, estilo de vida e estruturas da personalidade

alusão




Debaixo da pele só cabe um
_____
+
clique aqui

chupa essa manga


Olha o sol tingindo a madrugada

Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito

É uma paixão incontrolável eu não consigo resistir
Comprar, comprar, gastar, torrar
Eu não vivo sem consumir
Sou o gatilho mais rápido do oeste
Com um American Express na mão
Já tenho 3 rifles em casa
E não vejo a hora de sacar mais uma vez a carteira
Aquela belezura prateada e automática
Logo, logo reforçará a minha coleção

Soy loco por carros novos
Um modelo pra cada ocasião
Vibro imaginando a quantidade de ozônio devastado
Cada vez que acelero meu novo 4/4
Se alguns desses abraçadores de lagoas
Estão mesmos dispostos a perder seu sono com isso
Vão em frente!
Quanto a mim estou ocupado demais
Tentando decidir como investir e gastar bem meu dinheiro
Liberdade, Liberdade!
Regulação é o mesmo que censura
Dane-se o planeta!
Dane-se as futuras gerações!

E é por isso Sol
Que eu sou apaixonado
Sou fanático e posso até morre por ti América

Eu tive um sonho
Diante da minha nova TV de 500 canais
Me deparei com um estranho episódio dos Simpsons
A Floresta Amazônica havia se transformado num imenso deserto americano

Conheci a doce e ingênua Solange trabalhando pro lá
Num dos milhares de postos da TEXACO
Ela atendia a todos que paravam com o mesmo sorriso largo
Dizendo “bem vindo ao deserto do real”

Convidei-a para um café e ela terminou me contando
Que tinha acabado de chegar da América
Triste, desolada, confessou que tinha sido deportada.
Pra minha surpresa Solange topou viajar comigo de Ultraleve
A centésima parada foi numa praia deserta próximo a Tihuana no México
Olha o Sol tingindo a madrugada...

Quando ela menos esperava estávamos sobrevoando a noite de balão
O trecho do muro daquele imenso muro que adentra o pacífico
Solange no entanto não se alegro
É difícil viver na clandestinidade ela lembrou
Então eu lhe contei que seus problemas tinham acabado
Pois eu conhecia uma maneira muito simples de conseguir o Green Cardé só a gente se alistar para o glorioso exercito americano
Em pouco tempo nos tornaríamos fuzileiros
E viveríamos juntos, felizes e totalmente realizados
Torturando aqueles vermes mulçumanos na base de Guatánamo em Cuba.

Um calor intenso estranho invade aos poucos o meu peito
Acordei suado e triste por ainda está aqui
Mas de toda forma saiba

AméricaYo soy loco por ti!
AméricaYo soy loco por ti!
AméricaYo soy loco por ti!

Mundo Livre S/A


sexo


Se interessou pelo assunto?
Pois tome muito cuidado, ao longo de muito tempo foram dito várias coisas sobre sexo que acabaram apenas deixando as pessoas mais aprisionadas a um suposto comportamento correto, do que nos ajudado a compreender esse momento tão natural para nós.
Para vivermos em sociedade precisamos de uma disciplina, a psicologia e áreas afins trabalharam por muito tempo para ajudar a controlar as pessoas e por que não adestrá-las. Conseqüentemente estabeleceram normas “alem da conta” em favor de nossa sociedade puramente capitalista.
E se você concorda que o capitalismo destrói a natureza deve concordar também, que nós somos a NATUREZA ! E que nos destruímos também junto com ela ou você ainda pensava que eram só as plantas e o animaizinhos?
Por isso, desde já preste atenção no que anda lendo por ai. O homem se crê tão esperto, um ser superior aos outros animais, porem é o único que não goza de sua liberdade, vive buscando normas para conduzir suas atitudes, construindo muros cada vez mais altos contra seu próprio livre arbítrio.
Fuja de dicas de comportamento, rótulos, conselhos amigáveis. A melhor maneira de conduzir sua atitude é ouvindo você, somos todos diferentes não há um padrão universal para os comportamentos.
Bom e para comportamento sexual se já te deram um rótulo; sádico, masoquista, gay, hétero, homo, bi, etc. Guarde-o na gaveta e vai viver sua vida, ela é mais importante que o nome que outras pessoas inventam pra descrever sua atitude.



Você é normal?



Infelizmente nós temos uma crença bastante enraizada de que tudo o que a maioria das pessoas pensam, sentem, acreditam ou fazem deve ser considerado normal e servir de padrão para o comportamento de todas as outras.


Os estudos que se preocupam com as origens do sofrimento, das doenças, das guerras, das violências questionam seriamente se vale a pena seguir este padrão de pessoa “normal” e acredito que se subentende claramente que não.


Muitas normas sociais, atuais ou passadas, levam ou levaram ao sofrimento (moral ou físico) indivíduos e grupos.


O problema maior é que este conjunto de normas, conceitos, valores, estereótipos, hábitos de pensar ou de agir aprovados por um consenso ou pela maioria de uma determinada população se tornaram inconscientes e levaram muitas pessoas à sofrimentos, doenças ou mortes, pois são executados sem que suas vítimas tenham consciência desta natureza patológica.

Salvo quando esta pessoa possui condição financeira suficiente para fazer uma boa terapia, já que o trabalho na clínica da psicologia envolve o processo de tornar consciente de alguma maneira estes conteúdos inconscientes.


*adaptação do texto Normose de Pierre Weil

Errar em nosso caminho é melhor que acertar em caminho alheio.








Em vários momentos da vida surgem grandes dúvidas: qual caminho seguir ou será que estou na direção correta? Isto, claro, quando temos o hábito de pensar e refletir nossas escolhas, porque muitas pessoas seguem alienadamente o que já vem pronto, que é dado por outras pessoas e desta forma quem não sabe mandar em si acaba obedecendo. É claro que há um grande prazer nisso, pois ser levado não cansa, não dói e não há responsabilidade. Porém, andando pelo caminho de outro não se vai pra onde quer.


Existe um documentário no youtube chamado La mancha, muito interessante, com uma idéia muito boa apesar de subversiva, do tipo daqueles que deveria vir com a frase “crianças não tentem fazer isso em casa”. O vídeo nos leva a pensar a questão de como, em nossas vidas, somos levados por sinais que não nos possibilitam seguir nossas vontades.


Muito além dos sinais das placas de trânsito, a metáfora é para pensarmos em nossas vidas. Gosto de lembrar as pessoas para que não vejam as coisas ao pé da letra, pois assim se perde o sentido dessa estrada da vida que vai muito além do que se vê.


Descobrir seu caminho encontrar-se com seu desejo, é um treino difícil e doloroso, principalmente no início. Mas nem tudo na vida pode começar de um jeito perfeito e belo, então não deixe de dar o primeiro passo mesmo que seja como um tolo. Neste ponto deve andar a psicologia com seus clientes - como na auto-escola “ensinar” as pessoas a dirigirem suas vidas sozinhas e seguirem seu caminho.
_____
pense nisso aqui

conto de fadas













Os contos de fadas são obras de arte integralmente compreensíveis para a criança como nenhuma outra forma de arte o é. Seu significado mais profundo será diferente para cada pessoa em diversos momentos de sua vida.




Além de divertir as crianças, esclarecem sobre si mesmo e favorecem o desenvolvimento de sua personalidade, ajudando a lidar com situações que levam as repercussões psicológicas.
As crianças, através dos contos, podem externalizar seus conteúdos internos com mais facilidade, tornando-os compreensíveis enquanto representados pelas figuras da história e seus incidentes. Assim, a criança pode encontrar um meio para dar vazão aos conflitos internos presentes em sua vida.




A natureza irrealista destes contos torna óbvio que a preocupação do conto de fadas não é uma informação útil sobre o mundo exterior e, sim, sobre os processos interiores que ocorrem no indivíduo.
_
projeto completo aqui








"Nós não podemos começar de um jeito perfeito e belo. Não tenham medo de começar como tolos, comece como um tolo."
Chogyam Trungpa

re-lacionamento

Azarar sem violência, mesmo que seja só por maldade
Paquerar com liberdade mas na maior inocência
Namorar sem malandragem, estraga o filme dá prejuízo
Copular sem sacanagem é um atalho pro paraíso
Na inocência
Sem sacanagem
Só por maldade
Mas pode ir dando adeus, a galinhagem, a malandragem e as cantadas baratas
Você não é mais dono do seu nariz
O aprendiz de Dom Ruam foi aposentado

Frequentar a casa dela, sinal de alerta, perigo a vista
Conhecer toda a família, oléo na pista, olha o barranco
Expandir o patrimônio, não digo nada é um aviso
Contrair o patrimônio, é um atalho, não digo nada
Sem sacanagem
É um atalho
Pro manicômio

É hora de se despedir dos amigos, das baladas homéricas e das farras intermináveis
Você não é mais dono do seu tempo
Diga adeus ao mundo dos livres, seus dias de rei da noite definitivamente ficaram no passado

Mais o legal é quando mesmo depois de alguns anos de clausura, você acorda ao lado da sua amada e se descobre um felizardo
O legal man, é saber que todos os acidentes de percurso valem a pena quando lhe aproximam ainda mais da pessoa certa
O legal é ir dormir sabendo que ao acordar você poderá mais uma vez contar todas as pintinhas e sinais da pele da sua escolhida, só pra ter certeza
Só pra ter certeza que não esqueceu nada, que nada saiu da sua ordem, o universo e os elementos continuam conspirando a seu favor
E você continua reinando, reinando enquanto dorme!

*Mundo Livre S/A














Esta criança,
não está aí,
é apenas um ângulo,
o ângulo que há-de vir,
e não há ângulos...

Ora este mundo do pai-mãe é precisamente o que tem de desaparecer,
é este mundo duplicado-duplo,
em estado de desunião constante,
com vontade de unificação constante também...

em torno do qual gira todo o sistema deste mundo,
malignamente sustentado pela mais lúgubre organização.

Antonin Artaud






Quando criança achamos as pessoas muito mais bonitas.

poder


... a ganância e o desejo intenso pelo poder, demonstram o tamanho de sua fraqueza.

fechadura


Obrigado por bater a porta, bata em todo lugar.


Existe uma grande dificuldade em expressar com palavras várias questões do comportamento humano. Deixar para que a arte, com suas sensíveis ilustrações fale do que é tão difícil escrever, é uma boa saída. Uma música e um filme tiveram sacadas incríveis e muito interessantes para pensar várias questões da vida como ela é.

O filme é o nacional de Heitor Dhalia, "O cheiro do ralo”. Suas metáforas são muitos boas e falam de uma questão masculina bem evidente, que é o prazer em ver o corpo feminino. A imagem por si só deste corpo, que estimula prazer e acaba afastando o ator do filme de sentir algo mais em sua vida, traz um sofrimento nem sempre notado pelo homem.

A música "Armadura", do Otto, também trilha este caminho. Com este nome, que é praticamente um trocadilho com arma-dura, o homem com sua pele dura olha pelo buraco da fechadura e diz que não pode ter a tal felicidade. Ou melhor, não pode ver a tal felicidade.

Pensar sobre esse filme e essa música pode nos dar a idéia de que muitos de nossos sentidos perdem seus valores e outros são supervalorizados de maneira enlouquecida, como no caso da visão. Assim, dentre nossos cinco sentidos que aprendemos a diferenciar quando criança, tato, olfato, paladar, audição e visão, apenas esta última é estimulada com mais intensidade por nossa sociedade. Por quê?

jurisdição

Da pele para dentro começa sua exclusiva escolha,
você elege o que pode cruzar ou não.

sexualidade, um corpo aprisionado.


... este corpo preso, que vai além do que se vê, do que se toca e do que se corta .




A sexualidade vem ao longo dos anos sendo atravessada por uma cultura dominante. Podemos dizer que as transformações ocorridas desde os séculos XVII e XVIII são resultados de uma ideologia que nos é imposta pelo sistema capitalista que aprisiona nossos corpos, levando à repressão de desejos sexuais.


Os fatores externos que aprisionam o corpo são produzidos por instituições, normas, leis, mecanismos econômicos e toda uma tecnologia política complexa, cuja finalidade é captar, e usar em seu beneficio a sexualidade individual e coletiva.


Para o crescimento do mercado capitalista é importante produzir corpos economicamente úteis, para que assim seja, eles devem se tornar e se constituir como seus próprios vigias, adestrando e lhes inculcando hábitos primários desde a infância. Quanto mais simples estes gestos e hábitos, mais fundamentais, mais determinantes.


A civilização significa disciplina, e por sua vez implica controle dos impulsos interiores, controle este que para ser eficaz, tem de ser interno. Quem sabe a psicologia faça um caminho inverso a esse, libertando as pessoas.

liberda - de - vir



Nossa vida é cada dia mais associada a mídia, que mostra como ela deve ser através de espetáculos tele transmitidos, onde o cidadão deve limitar-se apenas a assisti-los. Podemos pensar isso de uma maneira interessante através do Grande Irmão (tradução Big Brother), que é o espaço privilegiado no qual a mídia assume hoje sua função educativa.


Esse programa funciona como um dispositivo da sociedade de controle, mostra o objetivo do jogo que é formar os atores adequados, docilizados, como requer uma boa personalidade capitalista e tal como são seus alunos-telespectadores.


Também esta presentes essa função nas novelas, nos filmes e nos noticiários que mostram esse modo de viver tão demonstrado como desejável, verdadeiro e via única de sucesso desse mundo que demanda que sejamos como dita a burguesia. Um mundo que reconhecemos ser falso, mas que nada fazemos para mudar, talvez porque falte atitude.


Deveríamos recusar essa sociedade da vigilância: que observa, controla, espiona, registra e acompanha cada um de nossos movimentos. Mesmo se precisarmos por algum momento fechar os olhos ou colocar uma máscara para esconder nossas identidades, porque assim recuperamos o poder de nossos atos ou porque caracterizados nós sentimos segurança de uma forma engraçada e nos tornamos visíveis.


É uma pena que as pessoas não podem ver todo esse controle e sair as ruas reivindicando: EU NÃO QUERO COMPRAR COMO SOU!

idade da terra (1980)

"Trata-se de um filme que joga no futuro do Brasil, por meio da arte nova, como se fosse Villa-Lobos, Portinari, Di Cavalcanti ou Picasso. O filme oferece uma sinfonia de sons e imagens ou uma anti-sinfonia que coloca os problemas fundamentais de fundo. A colocação do filme é uma só: é o meu retrato junto ao retrato do Brasil.

Esse filme estaria para o cinema talvez como um quadro de Picasso. Os críticos estão querendo uma pintura acadêmica, quando já estou dando uma pintura do futuro.

Na criação artística o maior empecilho é o medo. Os autores que criaram grandes obras na América Latina venceram o medo para não sucumbir ao terrorismo do complexo de inferioridade. Eu, inclusive, rompi este complexo no berro.

Eu não tenho medo de criar, se tiver engenho e arte vou em frente. É necessário não ser babaca, pois a babaquice é o maior inimigo do artista.

Arnaldo Carrilho me disse uma vez diante das ruínas de Pompéia (era um domingo entre janeiro e março de 1965) que Simon Bolívar subiu no Vesúvio e de lá meditou sobre a América Latina: daí partiu para sua ação política. Verdade ou mentira quero partir do vulcão".

Glauber Rocha

fuga


"Livrem-se das velhas categorias do Negativo (a lei, o limite, as castrações, a falta, a lacuna) que por tanto tempo o pensamento ocidental considerou sagradas, enquanto forma de poder e modo de acesso à realidade.
Prefiram o que é positivo e múltiplo, a diferença à uniformidade, os fluxos às unidades, os agenciamentos móveis aos sistemas. Considerem que o que é produtivo não é sedentário, mas nômade." (Foucault)